quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Tempos infantis

Sempre fui assim: uma pessoa boa! Agradeço aos meus pais e ao meu "prirmão" Cristiano.
Quando éramos jovens, numa galáxia muito distante, meu primo [e comparsa] e eu não podíamos ver uma moeda sem valor que guardávamos para "o dia q o Rodrigo [nosso primo 3 anos mais novo] ia lá em casa". Era dia de MUITA CONFUSAO! Entregávamos essas moedas a ele pra comprar salgadinho no Bar do POROROCA... que ficava na esquina da minha casa, empurrávamos o muleke pro bar, e nos escondíamos. O dono do local ficava puto, porque fazíamos isso umas 3... 4... 5 vezes seguidas. No bar e na padaria!
Tinhamos uns, respectivamente, 12, 7 e 4 anos [Cris, eu e Rô].
Mas no final, dávamos a grana “certa” pra ele comprar 3 pacotes. Daí, brincávamos de trocar o MESMO salgadinho: ele dava 5 unidades do dele e nós entregávamos, no máximo, 2 do nosso! Troca justa, pois ele era menor!
Tempo bom!!!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

um dia qualquer

Nossa. Há quanto tempo não escrevo? Talvez minhas idéias nem sejam mais as mesmas. Talvez eu não seja mais a mesma.
Hoje é um dia incomum. Dia em que sinto falta das pessoas. Não é normal. Faltada família tomando conta a minha vida. Falta dos amigos que um dia eu abracei. Das amigas que eu sacaneei. Dos animais que tive. Das pessoas com as quais conversei no MSN.. há apenas 10 anos!
Onde vou parar? Quando minha mente vai se aquietar? Quando vou me satisfazer? Sei que a vida é feita de surpresas, desafios, altos e baixos. Mas, PORRA?!? Até quando meu baixo [ou pelo menos o que eu considero baixo] vai continuar?
“Thoughts of death inside, tear me apart from the core of my soul”

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

...

"O amor encontra uma maneira de cegar até mesmo as mentes mais perspicazes. Nós não vemos porque não queremos ver, mas uma vez que o amor se vá, nós podemos ver a pessoa claramente. eles são revelados a nós, com todos seus defeitos, suas fraquezas, e seus segredos." - Lionel Luthor


"Algumas pessoas estão destinadas a ficarem sozinhas." - Lex Luthor

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Insônia faz isso

Nunca pensei em ter insônia. Mesmo porque sou a pessoa que mais tem sono face da Terra [Média].

Se é bom? Hmmmmm... É? Ahhh to curtindo. Tô até falando comigo mesma. Pensando e repensando na vida. Na minha e na dos outros. Já estou ha tanto tempo acordada que to me sentindo Deus olhando pela humanindade. A diferença é que só penso e mando sifudê. Deus é legal. Ele não pensa... [herege!!]

Mas fala sério?!? Deus é muito legal. Criou os céus, terra e o Big Bang. Criou todos os animais, incluindo o Tiranossauro Rex, os Dragões de Agua e o Ornitorrinco. Criou as plantinhas... principalmente a Costela de Adão. Criou o Homem, a Mulher, o Bi, o Tri, o Tetra e as Travas da Glória. Não! Aquelas se criaram sozinhas. Espetáculo!!!

Então, tenho insônia nas noites de Quinta. Insônia programada pelo meu inteligente SNC. Antes eu achava que era pelo simples fato de que sexta era o ÚNICO dia da semana que trabalhava pela manhã. Era meio que uma resposta para minha pergunta diária "Devo trabalhar amanhã?".

Trabalhar... ... ... Não quero falar sobre isso. Nem sobre "ozaimer".

Por que tenho um blog? Pelo mesmo motivo que tenho Orkut, Facebook, msn e agora, Twitter: PRA NADA! Na verdade tem utilidade. É pra eu usar o notebook e ter tendinite. Todo fisioterapeuta tem. Nada mais justo.

Hmmm é engraçado que depois de meses de um texto postado, eu leio e acho que nao fui eu q escrevi. Questão de idéias mutáveis. Volúveis. Voláteis. Versáteis. Viadas. Herbívoras...

Ahhh não posso ter idéias Herbívoras? Vou dormir. Eu, eu mesmo e Irene estamos em conflito.

Onde vamos parar?

Quinta feira... Dia de... hmmm... vejamos: nada interessante na TV.

Com o controle em punho, escolho um canal. IDOLOS. Não gosto... mas resolvi assiti por algum motivo que ainda nao descobri. Ok. Acontece abertura: Nossa!!! É a final. "Pode ser emocionante!" penso; contudo, nao acredito porque de relance, vejo a Joelma do Calypso na banca julgadora ou sei la o era aquilo. A camera filma o palco de longe. Ouço um carinha cantando com a voz super parecida com a do Daniel [aquele pseudosertanejo que tem sorriso de Cepacol]. Penso "Tadinho... esse aí nao vai ganhar! Tadinho²! Deve ser ruim ter a voz parecida com a do Daniel." ... ... ... A camera focaliza. É o DANIEL!!!

Troco de canal.

Programa da Luciana Gimenez. Percebam que, inconscientemente, to tentando suicídio. A entrevistada da noite é Thammy Gretchen. Thammy Gretchen. Nossa!!! Pode ser interessante, não pode? [Ahhhh pode vai! Não ri!!!] Ela fala sobre a mãe. Pode ser comovente. Tento prestar atenção. Ela diz ser polêmica, mas não pela opção sexual nem por ser filha da moça do "Conga la Conga... conga conga conga", mas por ter opinião. Acredito. Afinal, tirem o sobrenome [que é o pseudonimo da velha de olheiras profundas] e a opção sexual assumida publicamente, sobra uma CELEBRIDADE com alta credibilidade e muito valor pra sociedade.

Troco instintivamente de canal.

HIpertensão. Ahhh agora tá ficando bom. Reality[?] Show. Apresentado por uma mulher que nao sei o nome, mas ja vi no Esporte Espetacular - ou algum outro desse tipo que fale SÓ sobre futebol [pois só existe futebol aqui no Brasil; no RJ ainda temos o 'assalto' maaaaaaaas aí ja tô fugindo do assunto]. O programa é interessante! A começar pela apresentação dos participantes: eles, com braços cruzados sobre o peito nu [inclusive as mulheres - todas loiras e com fio russo nas sobrancelhas] sao filmados num ângulo de uns 280° [ok! mas agora entendi o 'peito nu']. A prova que elimina os "portadores de angina pectoris"[?] é: estourar, com a boca, 2 olhos de algum animal e comer um pedaço do cérebro, que mais parecia uma barra de cereal molhada. Assisti! Claro. Fantástico. Apenas uma não conseguiu, sendo eliminada. Tadinha. Senti que aquela precisava MESMO do dinheiro. Era a única morena!

Desligo a TV. Afinal, acabei de retornar ao Twitter. Tenho algo MUITO mais interessante a fazer...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Tradução de Road Salt [Pain of Salvation]

Sal da Estrada

Desta vez vou tentar não me machucar
Desta vez eu vou ficar intocado da dor e da sujeira
Desta vez eu vou ficar com o que eu aprendi
Desta vez eu vou voar tão baixo que não vou me queimar


Talvez não seja suficiente
Talvez desta vez seja simplesmente demais
Talvez eu não seja tão forte
Talvez desta vez a estrada é muito áspera
Desça, então me sento, mmh ...


Eu andei nesta estrada por tantos anos
Já usei todas as minhas botas, eu chorei todas as lágrimas
Tantas encruzilhadas deixadas para trás
Tantas escolhas queimadas em minha mente


Talvez não seja suficiente
Talvez desta vez seja simplesmente demais
Talvez eu não seja tão forte
Talvez desta vez a estrada é muito áspera
Para me levar para casa


Para me levar para casa
Para me levar para casa
Para me levar para casa
Mas eu sigo em frente

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Papel e Caneta

Essa semana deu a louca na rosa aqui. No meio do expediente, resolvi escrever. Saiu isso:

Nossa! Que diferença escrever à caneta em folhas de papel e tatear categoricamente as teclas de um computador. É tudo tão frio. Ao monótono. As palavras não se ordenam. Pelo contrário, se embaralham. Como se fosse um quebra-cabeça de uma tela sinuosa de Da Vinci.
Você não percebe a emoção através da grafia trêmula quando vê um texto em Times New Roman. Mesmo porque a letra não sai trêmula. Sai perfeita. Com a caneta, as palavras surgem como um olho d’água.
Escrevo agora em um papel toalha de banheiro como se fosse em chamequinho timbrado!
As lágrimas de vêem aos olhos. Engulo seco por estou no trabalho. Penso em como é BOM escrever. Redescubro o prazer da escrita e o faço como se fosse a última coisa a ser feita em minha vida.
Vida esta que não sei se vai ser longa, pois sou carioca... Soul Carioca...