segunda-feira, 19 de abril de 2010

Papel e Caneta

Essa semana deu a louca na rosa aqui. No meio do expediente, resolvi escrever. Saiu isso:

Nossa! Que diferença escrever à caneta em folhas de papel e tatear categoricamente as teclas de um computador. É tudo tão frio. Ao monótono. As palavras não se ordenam. Pelo contrário, se embaralham. Como se fosse um quebra-cabeça de uma tela sinuosa de Da Vinci.
Você não percebe a emoção através da grafia trêmula quando vê um texto em Times New Roman. Mesmo porque a letra não sai trêmula. Sai perfeita. Com a caneta, as palavras surgem como um olho d’água.
Escrevo agora em um papel toalha de banheiro como se fosse em chamequinho timbrado!
As lágrimas de vêem aos olhos. Engulo seco por estou no trabalho. Penso em como é BOM escrever. Redescubro o prazer da escrita e o faço como se fosse a última coisa a ser feita em minha vida.
Vida esta que não sei se vai ser longa, pois sou carioca... Soul Carioca...

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Agradecimento aos meus amigos

Cá estou novamente e agora é somente para agradecer.
Agradeçer aos meus amigos.
A C por me amar incondicionamente e não ouvir minhas lamentações. Faz com que eu pense e reclame menos e me divirta mais.
L por estar comigo em quase todos os momentos e garimpar a graça de todos eles.
R por deixar que eu faça parte de sua vida, ter paciencia e aceitar minhas decisões. M por despertar em mim algo indefinido que nem sonhava que existia.
F por simplesmente sorrir pra mim.
R por sempre ter um trecho de música que me faz gargalhar e por ver a vida de uma forma “Copélia”.
Mm por ser minha versão masculina e, portanto, permitir que eu me veja e analise em dobro e também por sempre puxar minha orelha.
L por sempre rir de minhas brincadeiras incomensuráveis.
C por perdoar meus bolos.
F por orar por mim.
J por guardar meus caminhos e meus amigos.

Loucura

Os loucos são os melhores. Eles vivem sua própria realidade. Vivem e acreditam nela.
Quero ser louca e acreditar que o mundo vai melhorar.
Que o flamengo vai sempre ganhar.
Que sou mais rica que Silvio Santos.
E que a Sandy é realmente legal!
Que Roberto Justus tem expressão.
Que nunca mais vou me apaixonar.
Que os moinhos de vento sopram a meu favor.
Que todas as crianças vão ter um lar e vão retribuir isso.
Que o filtro solar vai adiantar.
Que o Mc Donalds é nutritivo e não engorda.
Que o Coyote vai pegar o papa-léguas.
Que todo mundo é meu amigo.
Que o alfabeto está completo.
E que tudo vai se resolver...

Algo indefinido

Você não chegou de ”mansinho em meu coração”. Chegou como um Furacão. Intenso e Devastador. Exatamente como és.
Não me conquistou aos poucos. Foi de uma só vez. Objetivo. Por isso admirável.
Desfez as malas. Instalou-se. E não disse por quanto tempo ficaria. Gostei!
O que era pra ser um beijo apenas, FOI! Mas foi fantástico. Sublime. Transcendental. Naquele momento pensei, não que éramos almas gêmeas, mas que éramos apenas um e não tinha mais ninguém ao nosso redor.
Aproveitei enquanto pude. Sabia que seu cérebro não poderia ser meu. Alguém já o dominava. Não me importei. Nos momentos em que estava comigo era só meu. E isso me bastava.
Não me arrependo. Nunca me arrependerei. Só sinto, hoje, uma estranha saudade de tê-lo perto de mim. Mas sei que, mesmo longe, um cantinho empoeirado do seu coração ainda é meu. E sempre será.

...

Tenho enxergado tudo em tons de cinza, mas ainda acredito que o futuro possa ser VERMELHO.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Eu.

Auto biografar [é junto, hifenizado ou separado?] não é meu forte! Porém, tenho andado com umas vontades loucas que vem de lugar nenhum. Então, vamos labutar [coisa de velho!].

Acho que talvez essa vontade não tenha vindo do nada. Veio do anseio de me conhecer melhor. Ou me reconhecer. Ou me atualizar. Ou repaginar.
Canceriana. Sensível ao extremo. Choro com comercial de leite em pó desnatado.

Preguiçosa. Inconsequente. Atiro e depois miro! Queria ser um metamorfo. Não que eu não goste de ser quem sou. Não é isso. Pelo contrário. Mas poder mudar quando sentir vontade deve ser legal. Eloquente quando devo ser. Ou pelo menos quando pedem pra que eu seja.

Tenho fascínio por vilões e anti-heróis. Hannibal, vampiros que NÃO brilham ao sol, Coyote, Jig Saw, Wolverine, Kratos e meu pai! Torço pro bonzinho se ferrar. Só não torço pro Tom Cruise se ferrar. Ele é lindo!!! Ok. Ok. Assumo minha parte adolescente fútil, tá?

Durmo em filmes de ação. Amo todos os outros estilos. Sou cinéfila assumida. Mas odeio Mazzaropi. Sou Sonólatra também. E chocólatra. Pizzólatra existe?
Amo meus amigos. Hoje são poucos. Mas são suficientes. Verdadeiros. Pelo menos enquanto eu acreditar. Cada um com sua importância e minha total admiração.

Adoooro ler. Até gibi. Da turma da Mônica é claro. Até aprendi a assinar meu nome como faz Maurício de Souza. Mesmo não sabendo desenhar. Engraçado... achava que sabia até entrar no Ensino Médio e conhecer pessoas que faziam Marvin – o Marciano. Nunca mais desenhei! Será que preciso de terapia?

Tenho medo. Muito medo. De quase tudo... menos do convencional: Baratas, por exemplo. Ao contrário, admiro as baratas. De verdade. Vou postar algo sobre elas um dia. Vão dominar o mundo com sua gosminha! Tenho medo de palhaço, boneca, Papai Noel e do escuro quando jogo Silent Hill ou Fatal Frame! Medo de crianças também. Se um dia eu tiver um filho a festa dele JAMAIS será de palhaço.

Meus sonhos são sempre bizarros. Já sonhei que era serial killer de ervilhas e exterminadora de fantasmas medievais [os quais só eram mortos com saliva!!!].
Queria ter um Avatar como o do filme. Ou um Smurf [os precursores do Avatar]. Adoro desenho animado. Minha diversão é maior que a das crianças quando vejo. Acontece assim também em parques de diversão. Bem pensado. To precisando de uma montanha russa!

Música. Música. Boa Música. Rege a vida. A minha pelo menos. Cada uma lembra um momento... uma pessoa... ou um momento com aquela pessoa.
Filha única. Nunca vou ter sobrinhos de sangue pra dar presentes no Natal. O que é bom, pois não gosto de Natal. Nem nenhuma data comercial. Só a Páscoa. Já disse q sou chocólatra, neh? Ciumenta. Possessiva. Depressiva. Misantropa. TDA.

Não gosto de amar. Evito ao máximo. Não gosto de me entregar. De perder o controle. Mas não serei hipócrita: EU AMO. E amo muito. Até incondicionalmente. Amo a Natureza e o natural. O simples. O verdadeiro. O grandioso. Amo o Dr. House!
Nossa... falei falei falei e não falei nada sobre mim.

Sou cabeça dura. Tenho o dobro da teimosia de uma pessoa normal. Mas não luto até o fim pra provar que estou certa. Adoooro a cara das pessoas quando percebem que estão erradas! Sou egoísta.

Não dirijo. Fui reprovada é 2 vezes e desisti... por enquanto. Adoro sorrir. Dar gargalhadas até a barriga doer. Sou Sado e Maso. Adoro uma desgraça... tropeço e choro de rir!

Adoro animais. Principalmente gatos. Gostaria de ser mais inteligente. Não que eu
seja, mas dizem q sou. Se sou. Não sou a metade do que gostaria.
Sou maluca. Talvez por achar a loucura fascinante. Loucos são mais inteligentes. Interessantes.

Gostaria de ser coisas que não sou: funcionária da NASA, exímia cozinheira, absurdamente viajada, cantora, piloto de fuga, serial killer [mas não de ervilhas], exibida e extrovertida. Porém, sou o que devo ser e agradeço por isso.

Liberdade

Impagável não é a Hillux ou a Troller que desejo. E só trabalhar. Assaltar um banco também serve.
Impagável é sentir o vento no rosto a 110km/h depois de 3 dias enclausurada em minha torre particular e perceber que ainda existem prazeres desconhecidos de minh'alma.
A sensação de Liberdade é tão absurda... extasiante... emocionante.
Chorei. Pelos olhos e pelo coração.

domingo, 11 de abril de 2010

Defeitos

Engraçado como acontecem as coisas... Hoje acordei pensando em DEFEITOS e QUALIDADES.

Pra mim, DEFEITOS nada mais são do que nossas qualidades rejeitadas por nós ou por outros.

Defeito é quase uma anomalia, não é? Pense comigo: vc efetua a compra de relógio.Se ele não funciona, não executa sua função, dizemos que esta com defeito! Tem alguma peça quebrada, ou ausente. Falta bateria ou sei lá o que [meu lado Sylar não está aflorado hoje].

E uma pessoa? Se ela tem uma determinada característica que vc não gosta ou não acha adequada, logo diz “fulano tem um defeito muito grande...”. Além julgar errado a pessoa ainda mensura o tal defeito!

Ou mesmo em auto análise pensamos “eu reconheço meus defeitos”. Reconhece? Reconhece o que? Uma personalidade forte como uma anomalia congênita então? Equipara sua teimosia a um celular com display quebrado? Por acaso consegue conserto em uma loja autorizada pra sua falta de memória ou seu medo de falar em público?

Não temos o direito de julgar com essa palavra. Nem a nós mesmos. Nem aos chamados deficientes. Eles REALMENTE são portadores de necessidades especiais.

O defeito está nos olhos de quem o vê.

Amplie sua refração...

Sobre as qualidades... fica para outro post

sábado, 10 de abril de 2010

Flores.

Sinônimo de beleza. Pureza. Encontrada em várias cores, tamanhos e formas.
Presente esperado em datas importantes.
Ingrediente chave em jardins, decorações...


Mas, será que a flor está satisfeita com a posição que ocupa no mundo?
Será que ao desabrochar ela deseja de ser colhida? Cortada por um objeto frio extirpando seu elo com a fonte da vida?
Será que prefere ser tocada por digitais empoeiradas ou por gotas de orvalho?
Será que ela realmente quer estar nos braços de uma jovem debutante aglomerada a outras irmãs que compartilham o mesmo sofrimento? A jovem gosta do seu perfume, mas e ela? Será que gosta de sua fragrância artificial?


E por que não gostaria? Seria melhor ficar plantada em um lugar esperando o outono chegar? Suas pétalas caírem e não provocar um sorriso sincero?
O toque quente das digitais empoeiradas pode, às vezes, oferecer muito mais energia que a gélida gotícula matinal.
Mesmo não sabendo seu destino após a chorosa despedida com sua raiz, a flor faz alguém feliz. Ela não se isola. Pelo contrario, une-se a outras. E participa de um momento feliz.


Sejamos como as flores. Provoquemos um sorriso. Ou dois. De que vale a vida se não provocarmos um sentimento?

Ah... Se ela está satisfeita? Não sei. Não sou flor... Não ainda.