quarta-feira, 14 de abril de 2010

Algo indefinido

Você não chegou de ”mansinho em meu coração”. Chegou como um Furacão. Intenso e Devastador. Exatamente como és.
Não me conquistou aos poucos. Foi de uma só vez. Objetivo. Por isso admirável.
Desfez as malas. Instalou-se. E não disse por quanto tempo ficaria. Gostei!
O que era pra ser um beijo apenas, FOI! Mas foi fantástico. Sublime. Transcendental. Naquele momento pensei, não que éramos almas gêmeas, mas que éramos apenas um e não tinha mais ninguém ao nosso redor.
Aproveitei enquanto pude. Sabia que seu cérebro não poderia ser meu. Alguém já o dominava. Não me importei. Nos momentos em que estava comigo era só meu. E isso me bastava.
Não me arrependo. Nunca me arrependerei. Só sinto, hoje, uma estranha saudade de tê-lo perto de mim. Mas sei que, mesmo longe, um cantinho empoeirado do seu coração ainda é meu. E sempre será.

Nenhum comentário:

Postar um comentário