segunda-feira, 19 de abril de 2010

Papel e Caneta

Essa semana deu a louca na rosa aqui. No meio do expediente, resolvi escrever. Saiu isso:

Nossa! Que diferença escrever à caneta em folhas de papel e tatear categoricamente as teclas de um computador. É tudo tão frio. Ao monótono. As palavras não se ordenam. Pelo contrário, se embaralham. Como se fosse um quebra-cabeça de uma tela sinuosa de Da Vinci.
Você não percebe a emoção através da grafia trêmula quando vê um texto em Times New Roman. Mesmo porque a letra não sai trêmula. Sai perfeita. Com a caneta, as palavras surgem como um olho d’água.
Escrevo agora em um papel toalha de banheiro como se fosse em chamequinho timbrado!
As lágrimas de vêem aos olhos. Engulo seco por estou no trabalho. Penso em como é BOM escrever. Redescubro o prazer da escrita e o faço como se fosse a última coisa a ser feita em minha vida.
Vida esta que não sei se vai ser longa, pois sou carioca... Soul Carioca...

Nenhum comentário:

Postar um comentário