quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Tempos infantis

Sempre fui assim: uma pessoa boa! Agradeço aos meus pais e ao meu "prirmão" Cristiano.
Quando éramos jovens, numa galáxia muito distante, meu primo [e comparsa] e eu não podíamos ver uma moeda sem valor que guardávamos para "o dia q o Rodrigo [nosso primo 3 anos mais novo] ia lá em casa". Era dia de MUITA CONFUSAO! Entregávamos essas moedas a ele pra comprar salgadinho no Bar do POROROCA... que ficava na esquina da minha casa, empurrávamos o muleke pro bar, e nos escondíamos. O dono do local ficava puto, porque fazíamos isso umas 3... 4... 5 vezes seguidas. No bar e na padaria!
Tinhamos uns, respectivamente, 12, 7 e 4 anos [Cris, eu e Rô].
Mas no final, dávamos a grana “certa” pra ele comprar 3 pacotes. Daí, brincávamos de trocar o MESMO salgadinho: ele dava 5 unidades do dele e nós entregávamos, no máximo, 2 do nosso! Troca justa, pois ele era menor!
Tempo bom!!!